Icone Menu

O que faz um caranguejo de plástico à solta no Porto?

17-06-2019

A Ordem dos Engenheiros da Região Norte promoveu um dia de reflexão sobre o plástico de uso único

Quem por estes dias cruzar a porta principal da estação de Metro da Trindade, no Porto, vai dar de caras com um elemento atípico naquele contexto urbanístico.

Trata-se de uma escultura de grandes dimensões, predominantemente laranja, que em tudo se assemelha a um caranguejo.

O que pode passar despercebido à maioria dos transeuntes é o material que a compõe: garrafas de plástico usadas.

Os resíduos foram recolhidos durante várias semanas por estudantes da Academia do Porto (com especial destaque para os da Faculdade de Engenharia e do Instituto Superior de Engenharia) em acções de limpeza de praias e durante a Queima das Fitas, mas também por voluntários da Ordem dos Engenheiros da Região Norte (OERN).

 

Esta foi a forma que a instituição encontrou de alertar a comunidade para os contornos preocupantes que a problemática dos plásticos em contexto marinho está a tomar e a urgência de encontrar soluções.

 

Joaquim Poças Martins, presidente da OERN, sublinha a importância que os profissionais da área podem vir a ter na procura de soluções, já que foi “a própria engenharia que permitiu a invenção dos plásticos, por isso também tem de permitir a obtenção de alternativas”.

 

Fonte: Público

voltar ao topo

Ao subscrever a nossa newsletter, está a concordar com a Política de Privacidade.

zuka