Icone Menu

Bruxelas pede “esforços adicionais” na gestão de resíduos e dos recursos hídricos

11-04-2019

Portugal é um dos países em risco de incumprimento do objetivo da União Europeia

Há três grandes desafios que Portugal tem pela frente nos próximos anos em matéria de política ambiental: melhorar a gestão dos resíduos e dos recursos hídricos e a conservação da natureza. Para abordá-los são necessários “esforços adicionais”.

 

Quem o diz é a Comissão Europeia (CE), no chamado “Reexame da aplicação da política ambiental da UE de 2019: uma Europa que protege os seus cidadãos e melhora a sua qualidade de vida”, publicado para os 28 Estados-membros nesta sexta-feira.

“Portugal é um dos países em risco de incumprimento do objetivo da União Europeia [UE] de reciclar 50% dos resíduos urbanos até 2020”. Está longe disso, uma vez que, sublinha, a taxa global de reciclagem em 2017 era de 28%.

 

Outro problema são as “diferenças significativas entre as regiões” em relação a esta matéria.

É preciso “melhorar a recolha seletiva de resíduos”, assim como na gestão dos recursos hídricos, os desafios colocam-se no plano da “governação” e na “necessidade de colmatar lacunas a nível do investimento em recursos hídricos, especialmente no domínio das águas residuais”, lê-se no relatório.

No plano da conservação da natureza, a maior preocupação é a rede Natura 2000, particularmente a rede marinha, que está por completar, bem como a definição de “medidas de gestão necessárias para os sítios já designados”. Estão ainda por assegurar as medidas complementares necessárias para “assegurar a correcta aplicação” do regulamento sobre as espécies exóticas invasoras da UE.

 

O relatório da CE não se limita a apontar as áreas onde ainda é preciso trabalhar. Também nomeia aquelas em que se registaram melhorias. Por exemplo, “foram alcançados progressos substanciais na transição para uma economia circular”, lê-se no relatório.

E há mesmo exemplos de boas práticas como o esforço por tornar a administração pública “mais sustentável”, através da redução da utilização de papel e de utensílios de plástico descartáveis e a limitação da aquisição de combustíveis fósseis.

 

Fonte: Público

voltar ao topo

Ao subscrever a nossa newsletter, está a concordar com a Política de Privacidade.

zuka